APRESENTAÇÃO



Tucha

Olá, sou a Tucha e sou portadora da Síndrome de Sjögren tipo 2. Quando me foi diagnosticada passei tempos de muita angústia e incertezas por se tratar de uma doença rara e tão pouco conhecida em Portugal. Foi um período muito difícil, principalmente devido aos efeitos da artrite reumatóide e da fibromialgia. Durante vários anos fiz fisioterapia, mas as melhoras foram poucas. Tendo começado a fazer tratamentos de acupunctura devido a uma ciática, comecei a sentir melhorias nas minhas articulações, músculos e tendões e os valores das minhas análises estabilizaram. Então, visto estar a melhorar a minha qualidade de vida, deixei a fisioterapia e passei apenas a fazer acupunctura, não deixando no entanto de fazer a medicação prescrita pelo Reumatologista.

Apesar de há já algum tempo eu sentir a boca muito seca, os problemas inerentes à falta de saliva não eram ainda significativos. Apenas em 2002 comecei com enormes problemas de cáries e então a partir daí a secura oral instalou-se definitivamente.

Novamente o sentimento de desespero e angústia me assolou. As dores e a sensação de queimadura na língua e em toda a cavidade bucal eram enormes e ninguém me ajudava em termos de medicação. Foi então que procurando ajuda através da net, encontrei o site “ Lágrima Brasil” no qual encontrei vários testemunhos de pessoas que tal como eu lutavam com SS e com os problemas de secura. Através dos depoimentos de várias pessoas tive conhecimento de um produto que colmatava os sintomas da xerostomia. Mas, na tentativa de encontrar esses produtos novo problema surge: Não são comercializados no nosso país!

Continuando sempre a tentar arranjar uma solução para os meus males, a minha filha encomenda através de um site americano, o primeiro conjunto dos tão desejados produtos: Gel (substituto de saliva), colutório, pasta dentífrica, escova de dentes e pastilha elástica.

Agora, com os cuidados certos e mantendo uma boa higiene oral, estou novamente a passar uma fase razoável.

Decidi fazer este blog, devido a ter sentido falta de alguma literatura sobre SS em português. Espero poder ajudar alguém que, tal como eu um dia, necessite de informação ou até de expôr as suas dúvidas e os seus receios.

Acreditem que foi com muita força de vontade que mudei o meu comportamento perante a vida. Passei a cuidar melhor de mim, da minha alimentação e das minhas actividades de acordo com os meus limites e aprendi a entender os sinais de alerta que o meu organismo me transmite. Procuro ser mais paciente comigo e com os outros, tentando compreender melhor as minhas necessidades. Hoje acredito que quando uma doença chega às nossas vidas não é por acaso, mas sim para nos mostrar como estamos desequilibrados espiritualmente, havendo algo em nós que necessita mudar. É bom que deixemos de lado as coisas insignificantes que nada contribuem para o nosso engrandecimento espiritual e compreendamos que é chegada a hora de valorizarmos mais tudo o que nos rodeia.

Não se desesperem...não tenham medo, vale a pena viver e tentar ser feliz de acordo com as nossas capacidades e apesar de todas as debilidades que às vezes nos puxam para baixo, tentem sempre pensar que amanhã é um novo dia e quem sabe será melhor para nós!

Desejo-vos muita paz e que Deus nos abençoe a todos, principalmente dando-nos conformação e fé, perante as coisas que não podem ser modificadas.


Tucha Santos

       Comentários antigos       



Quinta-feira, 23 de Julho de 2009
Que outros órgãos podem ser afectados pela SS

 

Sintetizando o que foi dito em artigos anteriores, a Síndrome de Sjögren é uma doença inflamatória auto-imune, lentamente progressiva, que predominantemente afecta as glândulas exócrinas. Clinicamente dominada pelos sintomas “sicca” (xerostomia ou secura da boca e xeroftalmia ou secura dos olhos), mas que pode apresentar quadros clínicos diversos, com sintomas e sinais subtis de desenvolvimento insidioso e por isso muitas vezes de reconhecimento e diagnóstico difíceis.

É considerada por alguns, “a grande imitadora” pois pode mimetizar ou coexistir com outras doenças auto-imunes, doenças hematológicas ou neurológicas.

Atendendo a estas características, compreender-se-á a razão pela qual ela é tão sub diagnosticada e alguns lhe chamem a doença órfã (doença que atinge um número relativamente pequeno de pessoas, razão pela qual o governo não patrocina a sua investigação).

 

As várias manifestações da Síndrome de Sjögren:

 

Manifestações oculares;

 

Para além dos sintomas clássicos associados a queratoconjuntivite seca, os doentes com SS podem desenvolver: Blefarite, blefarospasmo, infecções oculares, úlceras da córnea, queratite, alterações no epitélio corneano e epitélio conjuntival, alterações essas que podem provocar perda de visão.

 

Manifestações orais e Otorrinolaringológicas;

 

Conforme já desenvolvido num outro artigo, as queixas orais estão relacionadas com a xerostomia e incluem: Secura de boca, sensação de queimadura, disfagia, estomatite, cárie dentária, involução das gengivas, halitose, lábios secos e gretados, queilite, anomalias no paladar, aumento das glândulas parótidas, etc.

As estruturas mucosas adjacentes à cavidade oral e também detentoras de glândulas, podem igualmente ser envolvidas – Nasofaringe, orofaringe, seios perinasais e ouvidos.

A secura da mucosa dos seios perinasais pode resultar em edema, secreções espessadas e obstrução. O canal auditivo externo sofre alterações eczematosas (prurido, descamação e crostas), com cerúmen seco. Criam-se assim condições que favorecem infecções recorrentes ou crónicas, como faringites, tonsilites, sinusites, otite media e surdez.

O envolvimento das glândulas exócrinas da laringe conduz a laringite “sicca” ou seja, rouquidão.

Todas estas situações são agravadas por condições ambientais desfavoráveis, tais como: humidade reduzida, ar condicionado, altitude elevada e poluição atmosférica.

 

Manifestações músculo-esqueléticas;

 

De todas as manifestações extra glandulares, estas são as mais frequentes. A maioria dos doentes com SS padece de episódios de artrite no decurso da sua doença. As queixas podem preceder as manifestações de disfunção glandular e são sintoma indicador da SS em cerca de 30% dos casos. Os sinais e sintomas incluem dor, rigidez matinal, sinovite intermitente e poliartrite crónica que por vezes, conduz a artropatia de Jaccoud. É uma artrite não erosiva semelhante à do lúpus, que predominantemente afecta punhos, metacarpo falângicas, inter-falângicas proximais, joelhos e tornozelos. Pode também ocorrer polimiosite (processo inflamatório nos músculos) e polimialgia (dores e rigidez muscular nas ancas, coxas, ombros e pescoço).

 

Manifestações Cutâneas;

 

Estas manifestações podem ser divididas em dois grupos:

  • As relacionadas com o atingimento das glândulas sebáceas:

    Xerose ou xerodermia (pele seca) – Manifestação mais frequente, resulta da disfunção das glândulas sebáceas e associa-se frequentemente a prurido, descamação e mais raramente a alteração da pigmentação.

    Diminuição da sudorese (transpiração) - Resultante do atingimento das glândulas sudoríparas e diminuição da secreção de substâncias odoríferas (por envolvimento das glândulas apócrinas). Em alguns doentes também tem sido observada alopecia (queda ou falta de cabelo).

  • As não relacionadas com o envolvimento glandular:

    Estas manifestações podem ser de natureza inflamatória (doença vascular inflamatória ou vasculite), ou de outra natureza. As mais frequentes manifestações cutâneas de vasculite, são a púrpura palpável e petéquias e a urticária crónica. Outras expressões de doença vascular inflamatória, são os nódulos subcutâneos (eritema nodoso), eritema multiforme, paniculite necrotizante, enfartes cutâneos, úlceras e gangrena.

    Também o fenómeno de Raynaud resulta de doença vascular não inflamatória e pode preceder a clássica Síndrome Sicca durante vários anos.

    Outras manifestações cutâneas possíveis são: A dermatite herpetiforme, o linfoma e pseudolinfoma cutâneos (doença linfoproliferativa associada à SS), a púrpura trombocitopénica (manifestação cutânea de doença hematológica associada à SS), lúpus eritematoso cutâneo subagudo (LECS).

Manifestações Pulmonares; 

 

As vias aéreas também parecem ser alvo frequente na SS. Apesar de há mais de 50 anos se ter conhecimento do envolvimento pulmonar na SS, o mesmo continua a ser sub diagnosticado, embora possa ser um fenómeno precoce e rapidamente progressivo. Várias complicações pulmonares têm sido descritas em pacientes com SS, entre elas destacam-se a bronquite e traqueia seca (xerotraqueia), linfomas e doenças relacionadas, fibrose pulmonar intersticial, vasculites, hipertensão pulmonar primária, pneumonia intersticial, broncopneumonia, pneumonia linfócitica intersticial, pseudolinfoma e linfoma, alveolite linfocitária, bronqueolite obliterante, nódulos pulmonares e hilares e em casos raros, derrame pleural. De entre todas estas complicações, a mais comum relacionada com estas vias é a tosse seca e irritativa que pode ser de intensidade variável. Essa tosse geralmente é o resultado da secura observada na árvore brônquica. O alcance dos problemas pulmonares na SS pode ser ainda mais extenso se considerarmos que a SS pode coexistir com qualquer outra doença auto imune.

 

Manifestações do aparelho urinário;

 

Apenas uma pequena percentagem de doentes com SS apresenta doença renal declarada. As situações mais comuns são: Cistite intersticial, uma patologia não infecciosa da bexiga, que está na origem de queixas persistentes de disúria, nictúria e dor supra púbica ou perineal e acidose tubular renal distal, causada por nefropatia tubulo intersticial. A acidose tubular renal pode conduzir a litíase renal (pedra nos rins), nefrocalcinose e alteração da função renal. Embora em situações raras, têm sido descritos alguns casos de paralisia hipocaliémica. Há também registo de alguns casos de glomerulonefrite.

 

Manifestações Cardíacas; 

 

São pouco mencionadas, pois muito raramente há evidência clara de envolvimento cardíaco, embora as manifestações clinicamente silenciosas como, pericardite assintomática e disfunção diastólica do ventrículo esquerdo, sejam bastante comuns. Miocardite é uma situação rara de encontrar.

Os recém nascidos de mães portadoras de SS podem apresentar bloqueio cardíaco congénito, que resultará de lesão do miocárdio e sistema de condução fetais protagonizada pelos anti-SSA que atravessam a placenta.

 

Manifestações Hematológicas;

 

Os doentes com SS podem desenvolver auto anticorpos contra constituintes de células sanguíneas, incluindo linfócitos, neutrófilos, plaquetas e eritrócitos, podendo surgir púrpura trombocitopénica e anemia hemolítica auto imune, anemia crónica, anemia aplásica, trombocitopenia auto imune, linfopenia e linfoma (existe um risco superior ao da população geral, de desenvolver linfoma).

 

Manifestações do Aparelho Digestivo:

 

Neste grupo, os órgãos frequentemente afectados são o pâncreas, o esófago, o estômago e o fígado. Os sintomas podem ser de náuseas, dor epigástrica, dificuldade para engolir (disfagia), sensação de queimadura retroesternal (pirose), gastrite crónica atrófica, pancreatite aguda ou crónica, cirrose biliar primária, hepatites virais e hepatite auto imune.

 

Manifestações Neurológicas;

 

O envolvimento do sistema nervosos periférico na SS é bastante conhecido pois constitui um sintoma apresentador da doença, numa percentagem mais elevada do que os sintomas “sicca” e precede-os em média, um ano.

Várias formas de neuropatia têm sido descritas:

  • Neuropatia multiplex – Tem sido descrito frequentemente o atingimento trigeminal e do nervo óptico, que resulta em vasculite dos pequenos vasos.
  • Neuropatia sensorial – É uma entidade distinta, provavelmente relacionada com infiltração linfócitica dos gânglios dorsais (ganglionite das vias dorsais)
  • Polineuropatia simétrica distal – Pode ser sensorial, sensitivo-motora ou autonómica.

O sistema nervoso central (SNC) pode também ser atingido de forma focal, daí resultando hemiparésia, défice hemissensorial, convulsões e perturbações do movimento. Ou apenas de forma difusa resultando em quadros de défice cognitivo, meningite asséptica ou doença psiquiátrica.

Neste domínio a situação mais frequentemente observada é a alteração atípica do humor, existindo no entanto, descritos na literatura, casos de psicose, demência, pânico, dissociação e alterações da personalidade.

 

Manifestações Ginecológicas ou Obstétricas;

 

No que respeita a fertilidade e paridade, não existe por enquanto diferenças em relação a pessoas sem SS. A queixa dominante refere-se a dispareunia (dor durante o acto sexual), encontrada em doentes pré-menopáusicas, o que poderá ser expressão de um processo de vasculite linfócitica local, secura da mucosa vaginal e infecção vaginal recorrente por fungos.

Outras manifestações não menos importantes, são: Fadiga debilitante e febre.

Todas estas manifestações podem ocorrer em portadores da Síndrome de Sjögren, mas isto não significa que todos os portadores tenham os mesmos problemas, pois, volto a referir que cada caso é um caso, duas pessoas com a Síndrome de Sjögren nunca têm exactamente os mesmos grupos de sintomas ou história clínica..



Publicado por Tucha Santos às 13:29
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

3 comentários:
De Célia das Neves a 7 de Setembro de 2011 às 00:09
Olá Tucha. Fui diagnosticada recentemente como portadora de SS. Devido a alguns problemas de saúde, médicos dizem que tenho também CMT, o que já tenho algumas dúvidas. Reconheço que tenho vários dos sintomas a que você se refere. Achei seu blog super interessante e muito bem elaborado. Acho que aqui vou encontrar respostas para muitas perguntas.
Abraços
Célia


De Elisabeth da Penha Silveira Teodoro Rodarte a 18 de Abril de 2011 às 21:56
Por diagnóstico de médicos tenho: psoríase, atrite psoriásica, Parkinson, Síndrome da Fadiga Crônica. Os sintomas como rigidez muscular, artralgia, fotofobia extremanente sensível a luz, blefaroespamo, secura vaginal e boca fadiga crônica, dor ouvido, dificuldade extrema para levantar cama e cadeira(levanto bastante curvada com rígidez) falta de concentração, perda considerável da memória, dor de garganta recorrente, insonia. Como veem meu quadro é bastante complexo, tenho tratamento fixo com reumatologista, neurolista clínico, psicologa, oftalmologista. Mas tem um neurologista que afirma que meus sintomas são psiquiatricos que tenho somente psoríase e artite psoriasica. O que fazer com um sintomatologia tão vasta em que todas as patologias tem algo em comum.


De carla angelino a 21 de Novembro de 2012 às 15:50
Tenho lupus diagnoticado e sind de SS secundario. Neste momento, estou com uma cistite intersticial associada ao SS. Estou com ciclosporina , plaquinol e corticoides há 4 meses. gostava de saber se alguem já teve esta manifestação e se conseguiu tratar-se e como. Alguem ja tomou a ciclosporina? Quanto tempo demorou a fazer efeito máximo?


Comentar post

Pesquisar neste blog
 
ARTIGOS

Abril 2010

Agosto 2009

Julho 2009

POSTS RECENTES

A Síndrome de Sjögren na ...

Manifestações Neurológica...

Produtos Biotène

Conselhos aos portadores ...

Xerodermia xerose ou secu...

Informação Saliwell

Quem foi Sjögren

Que outros órgãos podem s...

Projecto Saliwell – Esper...

Manifestações oculares

Falando ainda sobre Xeros...

O que é Xerostomia

Como chegar a um diagnóst...

Mais acerca da Síndrome d...

Que tipos de Sjögren exis...

Alimentação do doente com...

O que é a Síndrome de Sjö...

Quando e como suspeitar q...

POSTS MAIS COMENTADOS

ÚLT. COMENTÁRIOS

Oi Tucha! Como está? Sou do Brasil e fui diagnosti...
Boa tardeFalou numa pasta de dentes e numa escova ...
Por favor alguem de voces , tem desiquilibrio ,eu ...